Pintura Arq. Eduardo Moreira Santos, Lx (28.08.1904 - 23.04.1992)

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Angola - Novo Estatuto da Carreira Docente vai beneficiar 180 mil professores

O presidente da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores da Educação, Cultura, Desportos e Comunicação Social de Angola (FSTECDCSA), José Joaquim Laurindo, disse em Benguela que 181 mil trabalhadores da Educação em todo o país vão beneficiar, de forma gradual, do processo de actualização de categorias, com a implementação do novo Estatuto da Carreira Docente



José Joaquim Laurindo afirmou que a medida veio responder a uma das exigências do caderno reivindicativo sobre a revisão da situação remuneratória no sector da educação.

"Como Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores da Educação, Cultura, Desportos e Comunicação Social de Angola estamos satisfeitos porque perseguimos esse objectivo desde o ano passado junto do Governo", realçou, tendo sublinhando o árduo trabalho dos sindicatos na correcção e revisão do estatuto do agente da Educação.

Referiu que o Sindicato Nacional dos Professores e Trabalhadores do Ensino Não Universitário (SINPTENU), bem como o Sindicato Nacional dos Professores (SINPROF), concordam com o princípio do gradualismo na implementação do estatuto, atendendo às dificuldades financeiras que o país atravessa.

"Somos trabalhadores com necessidades várias, mas conhecemos as dificuldades do país em que vivemos", reiterou, concordando que, no quadro desse gradualismo, a prioridade venha a recair nos professores do ensino primário cujos salários estão entre os mais baixos.

José Joaquim Laurindo, citado pela Angop, admitiu que o Estatuto da Carreira Docente poderá confortar a situação daqueles professores que, apesar de nos últimos seis anos terem progredido no perfil académico e profissional, ainda não transitaram nas categorias correspondentes.

Entretanto, o presidente do Sindicato Nacional dos Professores Angolanos (SINPROF), Guilherme Silva, já tinha afirmado que a aprovação do Estatuto da Carreira Docente vai garantir a melhoria das condições salariais e de trabalho dos professores.

"Com aprovação do Estatuto da Carreira Docente vai iniciar o processo de actualização de categorias, como forma de se valorizar, dignificar e promover o professor angolano que enfrenta vários problemas", disse ao Novo Jornal Online Guilherme Silva.

O sindicalista espera agora que o Estatuto da Carreira Docente seja "urgentemente" aprovado no Diário da República e que o Governo não altera as exigências dos professores.

"Vamos verificar se o Governo respeitou ou não as nossas exigências que constam no novo Estatuto da Carreia Docente", acrescentou Guilherme Silva destacando o papel desempenhado pelos professores durante a última greve.

Segundo ele, com aprovação do estatuto, as autoridades estarão em condições de actualizar categorias profissionais de professores, proceder ao pagamento dos suplementos remuneratórios e a regularização da transição do regime probatório.

"O Sinprof esteve forte e unido e esteve sempre aberto ao diálogo, entregou as suas contribuições para o enriquecimento do novo estatuto. Vamos ver no Diário da República se esta lá tudo cumprido" acrescentou.

O presidente da Associação dos Professores de Angola (APA), Manuel Inácio Gonga, saudou o Executivo liderado pelo Presidente, João Lourenço, por ter viabilizado a aprovação do Estatuto da Carreira Docente.

"Hoje é um dia muito especial para os professores angolanos", observou Manuel Inácio Gonga destacando o papel desempenhado pelos sindicatos que pressionar o Governo a aprovar o estatuto.

De acordo com do presidente da Associação dos Professores de Angola, o novo estatuto de carreira vai propiciar a retenção dos agentes de ensino, estabilidade do corpo de professores, bem como a promoção de uma melhor qualificação do factor humano na educação. In “Novo Jornal” - Angola

Sem comentários:

Publicar um comentário